Noticias

Noticias (92)

A 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde de Roraima, realizada nos dias 30 e 31 de outubro, abre espaço para a população discutir temas relacionados à proteção e promoção da saúde no território. Ela reúne representantes da saúde dos municípios, movimentos sociais, conselhos de classes e profissionais de saúde. A ideia é construir diretrizes para a formulação da Política Nacional de Vigilância em Saúde, além de fortalecer ações de prevenção.

Para a conselheira nacional de saúde e integrante da Comissão de Comunicação e Mobilização da 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (CNVS), Nelcy Ferreira da Silva, que representou o Conselho Nacional de Saúde (CNS) nesta etapa estadual, “a conferência é uma oportunidade de compreensão das muitas vigilâncias, de trabalhador e trabalhadoras, da alimentar e nutricional, da epidemiológica, da sanitária”.

A coordenadora geral de Vigilância em Saúde, Daniela Souza, explicou que a conferência é um encontro importante para a discussão e conhecimento dos avanços necessários na área em nível estadual. “A conferência é essencialmente para dar espaço à população, para que esta possa discutir o que ela quer em avanço de vigilância e quais são as propostas que nós do Estado necessitamos”, disse.

O evento ocorre na Escola Técnica de Saúde do SUS (Etsus) e tem como tema Vigilância em Saúde: Direito, Conquista e Defesa de um SUS Público de Qualidade. A conferência vai resultar em propostas a serem votadas na 1ª CNVS, que vai acontecer em Brasília, de 28 de novembro a 1º de dezembro.

Vigilância no estado

Em Roraima, a Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde (CGVS) é o órgão responsável por supervisionar e apoiar as atividades executadas pelos municípios para promover a saúde da população para fortalecer as ações de prevenção e proteção à saúde da população.

A Vigilância em Saúde é a área que exerce ações para reduzir a morbidade e mortalidade por doenças e agravos transmissíveis e não transmissíveis. Isso é feito por meio da prevenção, controle e redução de riscos e danos ambientais, sanitários e ocupacionais que interferem na saúde da população.

Ascom CNS

Com informações SES/RR

 

A Conferência Estadual de Vigilância em Saúde de Sergipe vai acontecer nesta quinta (26/10), no Campus da Universidade Federal de Sergipe, em Itabaiana. Devem participar 500 pessoas, sendo 400 delegados municipais e as demais vagas distribuídas entre técnicos, gestores e convidados.

Durante o evento serão tiradas 12 propostas das centenas que foram indicadas pelos municípios nas pré-conferências, realizadas em agosto passado. As propostas serão levadas para a Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, que irá acontecer em Brasília no período de 29 e 30 de novembro e 01 e 02 de dezembro.

Os eixos que irão nortear a pauta da conferência estadual e, depois, em novembro, a conferência nacional são: O lugar da Vigilância em Saúde no Sistema Único de Saúde (SUS); Responsabilidade do Estado e dos governos com a Vigilância em Saúde; Saberes, prática e processos de trabalho na Vigilância em Saúde; e, Vigilância em Saúde participativa e democrática para o enfrentamento das iniquidades sociais em saúde.

Na conferência serão eleitos 32 delegados que irão representar o Estado de Sergipe no evento nacional. Segundo o vice-presidente do Conselho Estadual de Saúde de Sergipe, Eduardo Ramos Gomes, a conferência se reveste de muita importância porque é a partir das discussões e aprovação de propostas que se elabora os planos nacional, estadual e municipal de saúde.

“Também vamos homenagear seis pessoas que contribuem para o fortalecimento do controle social em nosso Estado e estão entre os patrocinadores da conferência. Entre os homenageados estão os secretários de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, e do Meio Ambiente, Olivier Chagas”, destacou o vice-presidente

Foto: Pré-conferência de V&S em Nossa Senhora da Glória

Fonte: Portal Saúde SE

Qual deve ser o papel da Vigilância em Saúde no Sistema Único de Saúde (SUS)? A questão será debatida pelos participantes da 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (CNVS), que será promovida pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), em Brasília (DF), de 28/11 a 1/12.

“A Vigilância em Saúde tem uma função essencial na saúde pública, porque possui a atribuição de organizar a tomada de decisões, a partir das informações obtidas pela própria saúde pública e por outras fontes”, explica o coordenador da Comissão de Formulação e Relatoria da 1ª CNVS, pesquisador da Fiocruz e dirigente da Abrasco, Guilherme Franco Netto.

De acordo com ele, apesar da sua importância central, a Vigilância em Saúde opera hoje no Brasil em uma lógica utilitária, consultada apenas em situações de crise. “A Vigilância em Saúde precisa influenciar toda a política de saúde no Brasil. Por isso, um dos propósitos da 1ª CNVS é criar a Política Nacional de Vigilância em Saúde”, afirma.

Franco Netto esclarece que a Vigilância em Saúde é o braço do SUS responsável pelas informações para a ação e intervenção que reduzam riscos e promovam a saúde. Deve orientar suas ações considerando os complexos fenômenos econômicos, ambientais, sociais e biológicos que determinam o nível e a qualidade da saúde dos brasileiros, em todas as idades.

“A Vigilância em Saúde procura produzir informações sobre as causas dos problemas que afetam os territórios. Ela investiga, por exemplo, como o desenvolvimento econômico incide sobre a saúde da população, ou seja, trabalha com o conjunto de elementos que, a partir da escolha do modelo de desenvolvimento, pode oferecer riscos à população”, explica.

Um exemplo prático, segundo ele, é a construção da Usina de Belo Monte, no Pará – uma das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que prevê um conjunto de intervenções que deveriam gerar desenvolvimento regional, mas também causam impactos enormes nos territórios.

“A construção de Belo Monte provocou a alteração de toda a lógica territorial, o que trouxe uma série de riscos para a população, como a violência, o estresse, a depressão e doenças crônicas, como a hipertensão, dentre outros. Diagnosticar esses problemas e traçar métodos para combatê-los são funções da Vigilância em Saúde”, esclarece Franco Netto.

Ele acrescenta que também é papel da Vigilância em Saúde investigar e buscar soluções para problemas como a tríplice epidemia de dengue, zica e chicungunha que assola o país. “O setor popõe ações individuais, como as vacinas, ações coletivas, como orientações sobre os malefícios do sal, e políticas públicas que, de acordo com a Constituição, envolvem vários fatores que afetam a saúde”, acrescenta.

Atuação fragmentada

Para o especialista, um dos problemas que afetam de forma negativa a atuação da Vigilância em Saúde no Brasil é a fraagmentação entre seus setores, No âmbito do SUS, é subdividida em seis áreas que nem sempre atuam de forma unificada: as vigilâncias epidemiológica, sanitária, da situação de saúde, da saúde ambiental, da saúde do trabalhador e da promoção da saúde.

Para agravar ainda mais o quadro, ele avalia que, no Brasil, ainda prevalece uma visão ultrapassada de como a vigilância pode contribuir com a saúde da população. “Vigilancia em Saúde não é só para contar casos, para fazer estatísticas. É para agir, para fundamentar as políticas da saúde pública”, defende.

Temas para a 1ª CNVS

Na conferência, os participantes serão convidados a refletir sobre questões como quais obstáculos ou dificuldades são percebidos para a atuação da Vigilância em Saúde integrada às demais práticas do cuidado em saúde. E também que práticas são requeridas para assegurar a integralidade do cuidado em saúde na Rede de Atenção à Saúde.

Os participantes serão provocados a propor modelos para a Vigilância em Saúde pautar o modelo de atenção à saúde no diferentes territórios. E ainda definir que estratégias podem ser desenvolvidas nesses territórios para efetivação da Vigilância em Saúde como parte integrante do cuidado em saúde, dentre outras.

“O Lugar da Vigilância em Saúde no SUS” é o tema do Subeixo 1 da 1ª CNVS.

Mais informações no documento orientador da Conferência: http://cnvs.org.br/pdf/Documento_Orientador_1CNVS.pdf

Ascom CNS

Crédito da Foto: CUT/SP

Tendo  como tema central “Direito, Conquistas e Defesa de um SUS Público de Qualidade", tem início, na próxima segunda-feira (23), a 1a Conferência Estadual de Vigilância em Saúde do RN, que será presidida pelo secretário de Saúde do Estado, George Antunes, e coordenada pelo integrante do Conselho Estadual de Saúde (CES), Francisco Batista. O evento será de 23 a 25/10, no Praiamar Hotel, em Ponta Negra.

Participarão da conferência 600 pessoas, sendo 400  delegados com direito a voz e voto, destes, 50% representam usuários do SUS, 25% profissionais de saúde e 25% são de prestadores de serviços. Os delegados foram eleitos nas etapas municipais e regionais das conferências que foram realizadas  durante os meses de agosto  e setembro em todas as regiões do Estado. A conferência estadual é a  última etapa  preparatória para a Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (CNVS), que irá acontecer em Brasília, no final de novembro.

"A conferência de vigilância  tem como principal objetivo propor diretrizes para a formulação da Política Nacional de Vigilância em Saúde e o fortalecimento de ações de Promoção e Proteção à saúde do povo brasileiro”, afirma Francisco Júnior, Coordenador da CEVS.

A programação do primeiro dia terá início às 16h, com a mesa de abertura,  em seguida será proferida a conferência magna “Política Nacional de Vigilância em Saúde e o fortalecimento do SUS como direito à proteção e promoção da saúde", proferida por Wladimir Nunes Pinheiro.

O 2º dia da conferência será às 8h e contará com duas mesas. A primeira discorrerá sobre o Subeixo 1 - O Lugar da Vigilância em Saúde no SUS, e o Subeixo 3 - Saberes, Práticas, processos de trabalhos e tecnologias na vigilância em saúde. 

A segunda mesa tratará dos subeixos  2 - Responsabilidades do Estado e dos governos com a vigilância em saúde e subeixo 4 - Vigilância em saúde participativa e democrática para enfrentamento das iniqüidades sociais em saúde. As duas mesas serão seguidas de debate com a plenária. No turno vespertino os participantes se dividirão em grupos de trabalho. 

No último dia da conferência ocorrerá a plenária final para eleição das propostas de diretrizes para formulação da Política Nacional de Vigilância em Saúde, e a eleição dos delegados que representarão o estado no Conferência Nacional de Vigilância em Saúde.  


O QUE: Conferência Estadual de Vigilância em Saúde
QUANDO: 23 a 25/10
ONDE: Praiamar Hotel - Natal RN
QUEM: 600 pessoas

 

Fonte: SES/RN

Com o objetivo de propor diretrizes para formulação da Política Municipal e Estadual, o fortalecimento dos programas e ações de Vigilância em Saúde, o Conselho Estadual de Saúde (Cesau-CE) realizará nos dias 24 e 25 de outubro, na Universidade do Parlamento Cearense (Unipace), localizada na Rua Barbosa de Freitas S/N, Prédio Anexo II, Edifício dep. Jose Euclides Ferreira Gomes, a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde (1ª CEVS).

A 1ª CEVS será um momento de debater com a população sobre a Vigilância em Saúde e propor estratégias para o cumprimento da promoção e da proteção como pilares do direito à saúde, além de estimular o fortalecimento e reconhecimento do território como espaço fundamental para a implementação da política e das práticas da Vigilância em Saúde. O intuito é, também, fomentar o controle social e a democracia participativa na construção de propostas para formulação de uma política nacional de vigilância em saúde.

O eixo principal será A Política Nacional de Vigilância em Saúde e o Fortalecimento do SUS como Direito à Proteção e Promoção da Saúde do Povo Brasileiro. Os subeixos são: O Lugar da Vigilância em Saúde no SUS; Responsabilidades do Estado e dos Governos com a Vigilância em Saúde; Saberes, Práticas, Processos de Trabalhos e Tecnologias na Vigilância em Saúde; Vigilância em Saúde Participativa e Democrática para Enfrentamento das Iniquidades em Saúde.

A Conferência Estadual contou com etapas macrorregionais, compreendendo as Macro de Fortaleza, Sertão Central, Litoral Leste/Jaguaribe, Sobral e Cariri, que foram realizadas de 25 de agosto a 17 de outubro. Foram mobilizados os 184 municípios e mais de mil pessoas, onde foram potencializadas as discussões com a participação de usuários, trabalhadores, gestores, prestadores e técnicos. 

A 1ª CEVS será conduzida pelas comissões Executiva, Organizadora, Formulação e Relatoria, Comunicação e Mobilização do Cesau, em parceria com a Coordenadoria de Promoção e Proteção à Saúde (Coprom/Sesa) e Coordenadoria Regional de Saúde (Cores/SESA).

Conferências Livres

Na programação foram realizadas duas Conferências Livres, nos dias 12 de setembro e 16 de outubro, no auditório Valdir Arcoverde, com o objetivo de apresentar sugestões para os eixos temáticos. As Conferências Livres foram organizadas pelos segmentos de usuários, trabalhadores e gestores/prestadores, além da representação social da juventude, população negra, pescadores, catadores de materiais recicláveis, profissionais de saúde, indígenas, pessoas com deficiência, pessoas vivendo com HIV/AIDS, dentre outras. As Conferências Livres não elegeram delegados.

 

DOCUMENTOS

- MANUAL ORIENTADOR DA 1ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE BAIXE AQUI

- MODELO DE MOÇÃO BAIXE AQUI

- MODELO DE FICHA DE CREDENCIAMENTO DE DELEGADOS DA MACRORREGIONAL PARA 1ªCEVS BAIXE AQUI

- MODELO DE FICHA DE PROPOSTAS PARA 1ª CEVS BAIXE AQUI

- APRESENTAÇÃO PADRÃO DO CESAU-CE SOBRE A VIGILÂNCIA EM SAÚDE BAIXE AQUI

- MANUAL DE PROPOSTAS DA 1ªCEVS BAIXE AQUI (NOVO) 

- PROGRAMAÇÃO DA 1ªCEVS BAIXE AQUI (NOVO) 

 

Veja todas as apresentações que nortearam as discussões durante a I Conferência Livre de Vigilância em Saúde.

- Apresentação: Análise da situação de saúde e promoção da saúde BAIXE CLICANDO AQUI
- Apresentação: Vigilância em Saúde: Direito, Conquistas e Defesa de um SUS Público de Qualidade BAIXE CLICANDO AQUI
- Apresentação: Núcleo de Controle de Vetores BAIXE CLICANDO AQUI

Fonte: Cesau/CE

Começou nesta quinta-feira (19), no Belém Hall Eventos, a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde com o tema: “Vigilância em Saúde: Direito, Conquista e Defesa de um SUS Público de Qualidade”.

É uma realização do Conselho Estadual de Saúde com apoio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), com a finalidade de propor diretrizes para a formulação da Política Nacional de Vigilância em Saúde e o Fortalecimento de ações de Promoção e Proteção à Saúde.

A proposta de realização da Conferência Nacional surgiu durante os debates da 15ª Conferência Nacional de Saúde, realizada em 2015, e em decorrência de diversos debates ocorridos no Conselho Nacional de Saúde (CNS).

Segundo o CNS, “entre os desafios, está o estabelecimento de um modelo de atenção à saúde voltado para a redução do risco da doença e de outros agravos, em que a promoção, proteção e prevenção ocupem o mesmo patamar e recebam a mesma importância do que a recuperação e a assistência”.

Seguindo os moldes da Conferência Estadual de Saúde, a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde também deverá contar o mesmo número de delegados, sendo 50% de representantes dos usuários do SUS, 25% de trabalhadores do SUS e 25% de gestores. Durante o evento, também serão eleitos os delegados que vão representar o Pará na Conferência Nacional, que será realizada de 28 de novembro a 1º de dezembro, em Brasília.

Serviço: Belém Hall Eventos fica na Rua Antônio Barreto nº 1176, entre Alcindo Cacela e 9 de janeiro. Telefone: (91) 3236-0631

PROGRAMAÇÃO

1ª Conferencia Estadual de Vigilância em Saúde

Dia 19.10.17

09h – 09h30 – Abertura

09h30 – 10h30 – Palestra Magna: “Vigilância em Saúde: Direito, Conquistas e Defesa de um SUS Público de Qualidade”

10h30 – 11h – Leitura e aprovação da proposta do Regimento Interno da 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde do Pará – 1ª CEVS/PA

11h – 12h- Eixo principal – Política Nacional de Vigilância em Saúde e o Fortalecimento do SUS como Direito de Proteção e Prevenção da Saúde do povo Brasileiro. Fortalecimento dos Programas e Ações de Vigilância em Saúde.

12h – 14h – Intervalo

14h – 14h30 – Composição da Comissão Organizadora do Processo Eleitoral dos Delegados à Etapa Nacional

14h30 – 15h30 – Painéis temáticos com debate

Eixo I – O papel da Vigilância em Saúde na Integralidade do cuidado individual e coletivo em toda a Rede de Atenção à Saúde

15h30 – 16h30 – Eixo II – Responsabilidades do Estado e dos governos com a Vigilância em Saúde

16h30 – 17h30 – Eixo III – Implementação de políticas intersetoriais para promoção da saúde e redução de doenças e agravos, inclusive as negligenciadas

17h30 -18h30 – Eixo IV – A participação social no fortalecimento da Vigilância em Saúde

18h30 – 19h30 – Encerramento do dia

Data 20.10.17

08h – 16h – Entrega das moções

08h – 12h – Grupos de trabalho

Grupo I: Eixo I – O Papel da Vigilância em Saúde na Integralidade do cuidado individual e coletivo em toda a Rede de Atenção à Saúde.

Grupo II – Responsabilidades do Estado e dos governos com a Vigilância em Saúde;

Grupo III: Eixo III – Implementação de políticas intersetoriais para promoção da saúde e redução de doenças e agravos, inclusive as negligenciadas;

Grupo IV: Eixo IV – A participação social no fortalecimento da Vigilância em Saúde .

12h – 14h – Intervalo

14h – 18h –  Plenária Final – Apresentação e aprovação das Propostas Consolidadas nos grupos, leitura e aprovação das moções e eleição e homologação dos delegados à etapa nacional

18h – 19h30- Encerramento

 

Fonte: SES/PA

Mais de 600 delegados de Saúde, vindos dos 144 municípios paraenses, estão reunidos no Computer Art Hall, em Belém, até esta quarta-feira para participar da 12ª Conferência Estadual de Saúde, que este ano tem como eixo principal a “Política Nacional de Educação Permanente para o Controle Social no Sistema Único de Saúde – SUS – PNEPS”. O evento tem apoio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A agenda dos participantes inclui na sequência a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde, que acontecerá entre 19 e 20 de outubro e formatará, pela primeira vez no Pará, uma política nacional sobre o tema.

O objetivo da 12ª Conferência Estadual de Saúde é avaliar a situação da Saúde Pública no Pará e propor diretrizes para as Políticas Estaduais de Saúde, que servem para orientar os governos no Planejamento da Saúde e na definição de ações prioritárias que são desenvolvidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nos municípios paraenses. Para isso, conta com a participação de delegados eleitos em Conferências ou Plenárias Municipais realizadas previamente em cada município sob a orientação dos Conselhos Municipais de Saúde.

A Conferência deste ano conta com a participação de aproximadamente 800 pessoas entre delegados, com direito a voz e voto; e observadores com direito à voz, sendo que 50% dos delegados representam os usuários do SUS, 25% representam os trabalhadores do SUS e 25% os gestores dos serviços do SUS. A presidente do Conselho Estadual de Saúde, Eunice Begot, disse ser este um momento importante de contribuir para o fortalecimento do SUS e de trazer para a população um pouco do que a complexidade que envolve o atendimento gratuito à população. “Esses espaços de discussões renovam nosso ensejo permanente de construir o SUS que todos queremos: com qualidade para o povo”, destacou.

Durante a abertura dos trabalhos, a secretária adjunta de Estado de Saúde, Heloisa Guimarães (foto à esquerda), aproveitou o espaço para falar dos direitos conquistados na Constituição com a criação do SUS e que as conferências são agentes importantes para discutir e desenvolver os temas elencados na programação. Para ela, é importante que os participantes levem para a fase nacional o compromisso do Pará com a diversidade, com a integralidade da saúde e com o fortalecimento do Sistema Único de Saúde.

1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde

Entre os dias 19 e 20 de outubro, no mesmo espaço da 12ª Conferência Estadual de Saúde, haverá a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde, pela qual vai ajudar a na proposta de redefinir o modelo de gestão do SUS no qual a vigilância em Saúde está inserido. Além de propiciar a integração da vigilância em Saúde em toda a rede de atenção, quer seja na promoção ou na prevenção em Saúde, na atenção primária ou na oferta em serviços de média ou de alta complexidade.

Todo o material, resultado das duas conferências, será organizado e enviado para também apoiar a construção de políticas nacionais, conforme explica Eunice Begot, ao agregar diversos segmentos de controle social para um debate que vai contribuir com conhecimentos não só para área técnica, mas também para embasar gestores na escolha das diretrizes e os planosoperativos.

Para mais informações, os interessados nos assuntos devem entrar em contato com a equipe técnica do Conselho Estadual de Saúde do Pará (CES/PA), situado na avenida Conselheiro Furtado, 1086. CEP: 66.025-150. Belém/Pará. Fone: (91) 3202.9602 e 3202.9603. E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Fonte: SES/PA

Nos próximos dias 19 e 20 de outubro, o município de Palmas, em Tocantins, sediará a I Conferência Livre de Vigilância em Saúde com foco em Hanseníase. O evento é uma realização do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) em conjunto com o Conselho Nacional de Saúde e o Ministério da Saúde, e com o apoio da Organização Mundial de Saúde (OMS), Organização Panamericana de Saúde (OPAS), Secretaria Municipal de Saúde de Palmas, Secretaria Estadual de Saúde do Tocantins, Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH) e os conselhos nacionas de Secretários de Saúde e de Secretarias Municipais de Saúde (Conass e Conasems).

Representantes de todas estas entidades, nacionais e internacionais, se reunirão para a abertura do evento, no dia 19 às 9 horas, que também contará com representação da Nippon Foundation, do Japão, parceira do Morhan em muitas ações de enfrentamento à hanseníase. O movimento participará em peso das atividades, com coordenadores e voluntários de várias regiões do país, e será representado, na mesa de abertura, pela coordenadora nacional Lucimar Batista.

O evento é uma etapa temática no processo de organização da 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, que acontece em novembro, em Brasília, e a expectativa é mobilizar usuários, trabalhadores, intelectuais e acadêmicos do Brasil para debater as estratégias para a eliminação da hanseníase no país.

Inscrições – Até o momento, o evento conta com mais de 300 pessoas inscritas, e o processo de inscrição, que é gratuito, ainda pode ser feito pelo link: https://goo.gl/h8C8WE

Mais informações sobre as inscrições e outras questões sobre hanseníase estão disponíveis pelo TeleHansen: 0800 026 2001, de segunda à sexta-feira, das 9 às 17 horas.

Os números da hanseníase no Brasil e em Tocantins

Em 2016, o Ministério da Saúde registrou 25.218 casos novos da doença no país, o que significa uma taxa de detecção de 12,23 casos novos para cada 100 mil habitantes. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o Brasil está entre os três países com grandes populações (juntamente com Índia e Indonésia) que notificam mais de 10 mil novos pacientes anualmente. Juntos, esses três países representam 81% dos pacientes recém-diagnosticados e notificados no mundo.

Do total de novos casos no Brasil em 2016, 72,3% são muiltibacilares (ou seja, 18.224 pessoas), o que indica atraso na detecção da doença. Outro número que preocupa é a ocorrência de novos casos entre menores de 15 anos, que em 2016 ficou em 1.696. A detecção de casos entre crianças indica a continuação da presença de pacientes não detectados.

Tocantins é o estado com a maior taxa de incidência de novos casos: em 2016, os 1.351 casos novos representaram uma taxa de 88,13 casos para cada 100 mil habitantes. O estado é seguido de perto por Mato Grosso, com uma taxa de 80,62 casos novos em cada 100 mil habitantes.

A fim de atuar com mais força diante deste cenário, além da programação e da preparação para a Conferência Nacional, o Morhan também dará continuidade à formação de um pré-núcleo em Palmas, dando sequência à articulação de voluntários da região cadastrados na Remob que têm se encontrado desde agosto.

Programação da I Conferência Livre de Vigilância em Saúde com foco em Hanseníase

Local: Auditório Central do CEULP/Ulbra - Av. Joaquim Teotônio Segurado, 1501 - Plano Diretor Sul, Palmas - TO

19 de outubro (quinta-feira)

8 horas :: credenciamento

9 horas :: abertura

Coordenação Geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação (CGHDE/MS) - Carmelita Ribeiro Filha

OMS e OPAS - Joaquim Molina e Enrique Vazquez

Nippon Foundation

CNS - Ronald Ferreira dos Santos

Conass - Michele Caputo Neto

Conasems - Mauro Junqueira

Morhan - Lucimar Batista

Prefeitura de Palmas/TO - Carlos Enrique Franco Amastha

SMS de Palmas - Nésio Fernandes

SES de TO - Marcos Esner Musafir

10 horas :: mesa “Subsídios para a Conferência Nacional de Vigilância em Saúde”

Artur Custódio (Morhan e CNS)

10h30 :: mesa redonda

“Plano global de eliminação da hanseníase e outras doenças negligenciadas”

Vera Lucia Gomes de Andrade (OPAS)

“Doenças negligenciadas no Brasil”

Alberto Novaes (Universidade Federal do Ceará)

“Protocolo e avanços da integração das Vigilâncias e Atenção Primária à Saúde”

Nésio Fernandes (SMS Palmas)

14 horas :: grupos temáticos discutem direitos, assistência e vigilância, práticas e tecnologias, mobilização, com foco em hanseníase mas também no âmbito do conjunto das doenças negligenciadas, incluindo discussões sobre tuberculose e outras doenças

20 de outubro (sexta-feira)

8 horas :: mesa redonda

Atenção Primária à Saúde, Atenção Secundária, Vigilância e Controle Social

9h30min :: Debates em pequenos grupos

14 horas :: Plenária

Fonte: Morhan

O Conselho Estadual de Saúde (CES/AM), em parceria com a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) e o Centro de Referência de Saúde do Trabalhador (Cerest), realiza a partir desta quarta-feira, 18 de outubro, até sexta-feira, 20, a “1ª Conferência de Vigilância em Saúde do Estado do Amazonas”. Participarão do evento representantes de órgãos e entidades como o Conselho Nacional de Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Agência Nacional de Vigilância em Saúde e Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde.

O tema central do evento é “Vigilância em Saúde: Direito, Conquistas e Defesa de um SUS Público de Qualidade”. A abertura, nesta quarta-feira, será às 19h, no auditório  da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), na avenida Joaquim Nabuco, nº1919, Centro. 
 
Estarão presentes na conferência o secretário de estado de Saúde e presidente do CES/AM, Francisco Deodato Guimarães, o representante  do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, Nereu Henrique Mansano, o  representante da Secretaria de Vigilância em Saúde, Ivo Brito, o representante da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Edson Antônio Donagema e o presidente do Conselho Nacional de Secretários Municipais, Januário Carneiro de Cunha Neto.
 
Ao todo, participam 108 delegados, eleitos nas conferências macro regionais que aconteceram em sete polos de saúde, tanto na capital quanto no interior, no mês de setembro. Os eleitos são distribuídos nas categorias: 60% usuário de saúde, 20% trabalhador do setor e 20% gestor.
 
O secretário Francisco Deodato Guimarães explica que as propostas tiradas no evento serão encaminhadas para Brasília, para serem discutidas na conferência nacional, que acontecerá em dezembro.
 
De acordo com o diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, esse evento é um marco na busca da regulamentação da Vigilância no âmbito da Saúde no Sistema Único da Saúde (SUS). “O Amazonas foi o primeiro estado do país a criar uma Fundação Estadual de Vigilância em Saúde, com intuito de promover  a saúde da população. Essa discussão sobre a importância da vigilância demonstra a maturidade no SUS, que passa a enxergar como melhor opção as medidas que evitam o adoecimento do indivíduo”, salienta.
 
Ele completa dizendo que o Amazonas é um estado com muitas particularidades regionais diferentes do resto do país. ”Dentro da própria regional de saúde, a realidade entre os municípios é bem diferente e, portanto, este será um dos desafios – consolidar as propostas de uma forma que contemple as necessidades do Amazonas, no âmbito de vigilância em saúde”,  diz. 
 
Na quinta-feira, 19, e sexta-feira, 18, a programação da Conferência acontece no auditório da Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro), na avenida Constantino Nery, nº1937, Chapada, Unidade 5, no horário de 8h às 12h e 14h às 18h, com discussões e consolidação de 21 propostas estaduais. Haverá também a eleição dos 36 delegados que irão representar o estado na conferência nacional, que será nos dias 28, 29 e 30 de novembro e 01 de dezembro, em Brasília.
 
Fonte: Governo do Estado do Amazonas

Para debater o papel da Vigilância em Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) e a responsabilidade dos gestores na efetivação desta política de saúde, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), promove a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde, nos dias 19 e 20 de outubro, no Hotel Veleiros, em São Luís.
Ao longo do ano, sete Conferências Macrorregionais ocorreram para definição de propostas que serão apresentadas nas etapas estaduais e nacionais. A etapa nacional está prevista para o período de 28 de novembro a 1º de dezembro, em Brasília.

O secretário adjunto de Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Marcelo Rosa, ratificou a importância das Conferências Macrorregionais de Vigilância em Saúde para a construção de políticas públicas eficazes. “As conferências são históricas, pois é a primeira vez que o SUS se reúne especificamente para discutir a política de vigilância em saúde. Anteriormente, só se discutiam as ações da questão hospitalar e assistência. Agora, o Conselho Nacional de Saúde, de forma muito acertada, convocou esta Conferência temática que serve para propor novos caminhos na área de vigilância”, afirmou.

Com o tema ‘Vigilância em Saúde: Direito, Conquista e Defesa de um SUS Público de Qualidade’, a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde vai discutir mecanismos democráticos de participação social e de modelos de gestão, visando à redução das desigualdades e o desenvolvimento sustentável.

Além de palestras e oficinas, as discussões também percorrerão eixos temáticos sobre governança, participação social e diálogo federativo, financiamento do desenvolvimento regional, desigualdades regionais e critérios de elegibilidade e vetores de desenvolvimento regional sustentável.

O superintendente de Vigilância Sanitária Estadual, Edmilson Diniz, explica que no campo da saúde, a vigilância está relacionada às práticas de atenção e promoção da saúde dos cidadãos e aos mecanismos adotados para prevenção de doenças. “O trabalho de prevenção que é feita na atenção primária associado ao trabalho em vigilância em saúde fortalece a qualidade da saúde de cada território melhorando os indicadores de saúde”, disse.

Edmilson Diniz esclarece, ainda, que as ações de vigilância sanitária estão focadas no controle de bens, produtos e serviços que oferecem riscos à saúde da população, como alimentos, produtos de limpeza, cosméticos e medicamentos e a realização das macrorregionais em vigilância são essenciais para identificar o que precisa mudar nos processos de trabalho.

“Se você tem uma rede de vigilância atuante e funcionando, naturalmente você tem mais atividade de ação, de promoção e proteção à saúde. Dessa forma, reduzimos o agravo à saúde da população, o que significa que menos pessoas doentes no município que vão procurar a assistência, seja na atenção primária, média ou alta complexidade”, afirmou o superintendente.

Fonte: SES/MA